Malásia não aguenta mais refugiados rohingya, diz PM



(Alanlau) - A Malásia não pode mais acolher refugiados muçulmanos rohingya de Mianmar, disse o primeiro-ministro Muhyiddin Yassin na sexta-feira, citando uma economia em dificuldades e recursos cada vez menores como resultado da nova pandemia de coronavírus.


A Malásia, de maioria muçulmana, tem sido um destino preferido de Rohingya que busca uma vida melhor depois de fugir de uma repressão liderada por militares em 2017 em Mianmar e campos de refugiados em Bangladesh.


Mas a Malásia, que não reconhece o status de refugiado, recentemente recusou barcos e deteve centenas de Rohingya, em meio à crescente raiva de estrangeiros que foram acusados ​​de espalhar o coronavírus e receber fundos estatais escassos.


"Não podemos mais aguentar, pois nossos recursos e capacidade já estão ampliados, agravados pela pandemia do COVID-19", disse Muhyiddin em teleconferência com outros líderes da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), que inclui Mianmar. .

"No entanto, espera-se injustamente que a Malásia faça mais para acomodar os refugiados que chegam".